Rita Pinto Guimarães

Entrevista a Ana Gabriela Cabilhas

Presidente da Federação Académica do Porto

calendario.png

20 Janeiro 2021

160804440712779574_3.jpg

Federação Académica do Porto elegeu os novos órgãos sociais de gestão da FAP para o mandato de 2021 no passado dia 10 de dezembro, tendo ganho a Lista M com 21 votos a fa-

A

vor. Será Ana Cabilhas e os elementos da sua equipa a liderar os destinos do organismo máximo de representação dos estudantes da maior Academia do país no presente ano.

Ana Gabriela Cabilhas é, assim, a segunda mulher a liderar a Federação em mais de trinta anos de história, sucedendo agora a Marcos Alves Teixeira. É estudante do segundo ano do Mestrado em Ciências do Consumo e Nutrição, “partilhado” entre a FCNAUP e a FCUP e, aos 23 anos, conta já com uma exemplar carreira associativa, que teve início na Associação de Estudantes da FCNAUP, passou pela coordenação do Pólo Zero e do projeto FAP no Bairro e continua agora na presidência da FAP.

Na sequência da eleição dos novos órgãos da FAP, a Critério teve a oportunidade de conversar com a nova presidente, que agarra o leme da associação estudantil num ano desafiante, em virtude da pandemia que assola o mundo.

Gostaríamos de saber, antes de mais, as suas expectativas para este mandato que se inicia numa altura atípica (sendo o termo indubitavelmente insuficiente para descrever a situação que vivemos),  num ano em que os estudantes vão precisar mais da Academia do que anteriormente.

R: A nossa causa são os estudantes. A pandemia traz, para além de uma crise social, uma crise económica. A FAP estará ao lado dos estudantes da Academia do Porto, garantindo que nenhum estudante abandona o Ensino Superior ou é deixado para trás, e trazendo para a agenda temas como o emprego jovem e as condições de acesso ao mercado de trabalho num momento difícil como o que vivemos.

Sendo possível antever um ano exigente para a FAP aos mais variados níveis, já traçou as prioridades para este mandato?

R: A adaptação do ensino às exigências do novo panorama nacional veio expor a necessidade de melhoria dos métodos de ensino e aprendizagem e de utilização de novas tecnologias, pelo que a inovação pedagógica será uma prioridade, bem como o emprego digno e de qualidade dos diplomados.

No que diz respeito a iniciativas com a marca FAP, queremos afirmar a Tomorrow Summit como evento de referência na região Norte, no qual a inovação, o conhecimento, a tecnologia, a sustentabilidade ganham palco e onde se discute o hoje e o amanhã das novas gerações.

Em virtude da pandemia, muitos alunos viram as suas famílias perder rendimentos, vários dos quais se depararam, também, com o desemprego, o que pode impedir com que deem continuidade aos seus estudos, em particular no âmbito do mestrado. Questionamos, assim, se a FAP pretende ter um papel ativo nesta questão, nomeadamente no auxílio à procura de emprego por parte dos jovens que concluem a licenciatura e não procuram continuar a estudar pois não têm meios para tal.  

R: A FAP tem de estar e estará ao lado dos jovens diplomados neste momento difícil. Uma Garantia Jovem 2.0 pode ser uma das soluções, mas são precisas mais quando falamos de políticas de emprego orientadas para os jovens.

Partindo agora para uma questão mais concreta, o alojamento estudantil tem sido uma bandeira da FAP ao longo dos últimos anos. Tenciona dar continuidade a este projeto e, se sim, de que forma?

R: O alojamento académico continua a ser uma preocupação. Daremos continuidade ao trabalho feito pela FAP, não só evidenciando a necessidade de criação de soluções públicas, como também promovendo melhores oportunidades de alojamento, imprimindo velocidade ao projeto-piloto lançado pela FAP: o Bairro Académico.

Ainda no seguimento das últimas questões, os estudantes deparam-se agora com o início do que costumo denominar “a fatura da Covid-19”. Neste sentido, e uma vez que os alunos têm vindo a ser confrontados com preços cada vez mais elevados, irá a FAP intervir no problema inerente às rendas para os universitários da nossa cidade?

R: A FAP continuará a dar voz e a trazer para a agenda a problemática do alojamento estudantil, que passa pelo preço das rendas, mas também pelas condições das casas disponíveis para estudantes.

Implementou-se, no último semestre, o ensino à distância, em detrimento do presencial, como medida de prevenção e combate à Covid-19, o qual se mantém ainda em várias Faculdades. Considera esta modalidade de ensino uma vantagem que adquirimos com a pandemia que, de resto, deveríamos manter no futuro?

R: O uso das tecnologias digitais e o ensino à distância trazem uma oportunidade para a melhoria desejada no Ensino Superior. Quase há um ano, fomos forçados a mudar da sala de aula para trás de uma câmara, mas não mudámos de paradigma. Assistir a uma aula online nos mesmos moldes que uma aula é ministrada presencialmente não reflete inovação. O futuro da educação traz diversidade de meios, ferramentas e experiências e o enriquecimento do ensino presencial com tecnologias digitais. Mas a melhoria dos modelos de ensino-aprendizagem não se pode reduzir ao uso da tecnologia. O papel que o docente assume é de extrema importância.

Sendo esta, talvez, uma das perguntas mais colocadas pelos estudantes, não poderíamos deixar de a interpelar a este respeito – antevê a possibilidade de realizar a Queima das Fitas em 2021?

R: A FAP sabe bem da importância deste evento para os estudantes da Academia, e do sentimento único que a Queima das Fitas traz a cada um de nós. Contudo, a nossa prioridade é a segurança de todos os estudantes. É por isso que estamos atentos ao evoluir da situação pandémica e a estudar várias opções.

Caso a impossibilidade seja manifesta, será, então, proposta uma alternativa à realização da festa académica mais ansiada do ano que constitui, também, uma importante fonte de receitas para a FAP?

R: A prioridade da FAP é devolver o sentimento único de que juntos somos Academia e estimular o sentido de pertença dos estudantes à cidade do Porto. A Academia do Porto é um lugar único, de amizades e momentos para a vida. É este sentimento e esta magia que queremos perpetuar, seja qual for a iniciativa levada a cabo pela FAP.

Torna-te Associado